Segundo informações um membro do PCC (Primeiro Comando da Capital) estaria escondido na região de Machacalis e comandando o tráfico de drogas naquela área.

Já há algum tempo, os militares do Pelotão de Machacalis  vinham recebendo informações, dando conta de que o indivíduo R. A. S., vulgo Loko, oriundo da Região Metropolitana de Belo Horizonte teria se estabelecido na cidade e assumido o controle do tráfico ilícito de drogas na região.

Loko, segundo informações, é membro do PCC e trata-se de um indivíduo com extensa ficha criminal, que contempla dentre outros, tráfico, homicídios, porte de arma, ameaça, etc., e está inclusive em cumprimento de pena no regime domiciliar na cidade de Ibirité, deste modo não poderia estar em Machacalis.

Conforme protocolo adotado no  Pelotão de Machacalis, a Polícia Militar é o cartão de visita da cidade, ou seja, todo veículo ou pessoa desconhecida é abordado e verificado os antecedentes, assim, no primeiro contato com Loko, foram constatados os registros criminais e a condição de cumprimento de pena, sendo o fato levado ao conhecimento do Judiciário e Ministério Público, sendo esse o primeiro contato com tal indivíduo.

Em um segundo momento, Loko foi preso por tráfico de drogas e conduzido à Delegacia de Plantão em Nanuque, mas não permaneceu preso, contudo, passou a proferir ameaças inclusive a policiais e a intensificar suas intenções de controlar o tráfico local, através da imposição forçosa, ameaças e julgamentos realizados no Bairro Bela Vista, num verdadeiro Tribunal do Crime.

De posse de todas as informações adquiridas, foi realizado intenso planejamento envolvendo as quatro frações do Pelotão de Machacalis que culminou na prisão do considerado braço direito do Loko no tráfico, cuja responsabilidade era realizar a distribuição da droga que chegava, aos “vapozeiros” (indivíduos que distribuem e vendem as drogas).

A partir de então, seguiu-se uma sequência de alvos, sendo que cada alvo atingido, gerava novas informações sobre partícipes da facção, sendo presos um por um em locais diversos.

Durante registro da Ocorrência no Quartel da PM, os Militares receberam informações de que Loko, o Chefão do tráfico local, teria chegado na praça do bairro Bela Vista, exibindo arma e dizendo que “trombaria os vermes” que prenderam seus comparsas.

Imediatamente as equipes deslocaram ao local, onde localizaram o Loko tentando evadir do local em um veículo Fiat/Uno, instante que foi feito o bloqueio frontal e ele tentou evadir de marcha a ré mas bateu o carro, sendo abordado e preso, no interior do veículo, foi encontrada 01 (uma) pistola calibre 9mm, com 11 (onze) munições no carregador, 02 (dois) tabletes de crack e 01 (uma) barra grande de maconha.

Haviam ainda dois alvos que não tinham sido localizados, sendo que um deles ao ser avisado por integrantes do tráfico, conseguiu empreender fuga num veículo Fiat/stilo.

De forma ininterrupta e em continuidade as buscas, pela manhã, a caçada continuou. Um militar de folga e a paisana avistou o veículo Fiat/Stilo seguindo em direção  uma comunidade chamada Água Quente e foi no encalço deste. Durante a fuga, o condutor bateu o veículo num barranco, foi perseguido, alcançado e preso, já numa propriedade rural que os militares descobriram estar sendo utilizada como esconderijo para o Loko.

Por fim, os indivíduos foram presos e grande quantidade de material foi arrecadado e apreendido, restabelecendo a paz na região de Machacalis, colocando uma facção à disposição da justiça!

Produtividade total:

Fonte: Grupo Cabo Nathan Rodrigues